domingo, 19 de fevereiro de 2017

Criatividade na adversidade

"Antigamente, no Brasil, para se ter melado, os escravos colocavam o caldo da cana-de-açúcar em um tacho e levavam ao fogo. Não podiam parar de mexer até que uma consistência cremosa surgisse.
Porém um dia, cansados de tanto mexer e com serviços ainda por terminar, os escravos simplesmente pararam e o melado desandou. O que fazer agora?



imagem daqui


A saída que encontraram foi guardar o melado longe das vistas do  feitor. No dia seguinte, encontraram o melado azedo fermentado. Não pensaram duas vezes e misturaram o tal melado azedo com o novo e levaram os dois ao fogo. Resultado: o "azedo" do melado antigo era álcool que aos poucos foi evaporando e formou no teto do engenho umas goteiras que pingavam constantemente. Era a cachaça já formada que pingava, daí o nome "PINGA".


Quando a pinga batia nas suas costas marcadas com as chibatadas dos feitores ardia muito, por isso deram o nome de "ÁGUA-ARDENTE". Caindo em seus rostos escorrendo até a boca, os escravos perceberam que, com a tal goteira, ficavam alegres e com vontade de dançar, e sempre que queriam ficar alegres repetiam o processo." * Esse é só um exemplo - quando estudamos a cultura afro, percebemos como além de criativos são responsáveis por vários repertórios culturais adotados no Brasil na música, dança, culinária e religião.

O ser humano é criativo por natureza - basta observar as estratégias de uma criança pequena quando está descobrindo o mundo. Precisamos explorar melhor essa característica inerente na adversidade. No filme "A Vida é Bela", 1998, ganhador de Oscar, o personagem principal é levado a um campo de concentração nazista com seu filho e desenvolve estratégias para que o menino pense que estão somente participando de uma grande brincadeira com o intuito de protegê-lo da tristeza e violência. É emocionante e criativo.

Outro exemplo que vi em um vídeo: quando alguém projeta um avião, sabe que um dos seus principais desafios é quebrar a resistência do ar, e sabe que não adianta ficar reclamando sobre isso pois não mudará a situação natural. O que ele precisa fazer é focar em meios criativos de projetar um desenho que consiga romper, voar, naquilo que não pode mudar.

A criatividade acontece em situações-limite, quando o cérebro em hiperatividade procura com rapidez uma solução em seu repertório (já diz o ditado, "quando a água chega na bunda, aprende a nadar" rsrsrs), porém isso causa um grande esgotamento mental. O ideal é investir cotidianamente na criatividade para evitar as situações-limite. Valorizar suas ideias, fazer perguntar, quebrar padrões, são algumas das dicas desse artigo ---> aqui, e há inúmeros artigos e vídeos com dicas sobre o tema, basta pesquisar no Google. . Alimente sua criatividade, pois além de movimentar o cérebro, ganha-se ferramentas para resolver problemas e melhorar a qualidade de vida. Nossa cultura dá a entender que a pessoa que foge do padrão de pensamento dominante é inadequado e acabamos nos bloqueando criativamente, mas quem investe, defende e mostra uma personalidade criativa ganha respeito e admiração. Quanto maior for seu repertório criativo, mais eficientes serão seus meios de superação.

A dica então é, implemente a criatividade em seu dia-a-dia, e perceba como daqui a algum tempo será mais fácil resolver ou administrar seus problemas, sendo possível retornar a um estado de tranquilidade com maior rapidez.


*História contada no Museu do Homem do Nordeste

24 comentários:

  1. Pois é, Bia. Criatividade, cria atividade, ser como as águas de um rio que não param diante de uma pedra: Contornam, saltam por ela ou fazem um caminho novo. O ser humano com sua inteligência e capacidade de criar, não pode nem deve deixar de inventar e reinventar.

    Um abraço e uma boa semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Apon!
      Seu comentário me lembrou uma entrevista de Rubem Alves onde ele dizia que o grande diferencial dos homens sobre os animais era a capacidade de criar. O interessante é que a criatividade é como a maior parte dos dons inerentes que temos: quanto mais estimulada, mais floresce!
      Abraços!

      Excluir
  2. UAU,que lindo post e texto!Adorei saber essas curiosidades sobre o melado, aguardente e pinga! E a criatividade sempre nos acrescenta e leva mais longa, na certa! ADOREI! bjs, linda semana,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Chica!
      quando minha filha me mostrou esse texto logo achei que seria bem interessante compartilhar! Há muitas histórias de uso positivo das circunstâncias e da busca inesgotável do ser humano por momentos de alegria! Nessa busca a criatividade é grande aliada!
      Abraços!

      Excluir
  3. entre a folha e a raiz


    ( me encanto com gente criativa)


    adorei o post


    abç

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também me encanto, Margoh! No fundo todos temos essa semente, basta deixar germinar!
      Abraços!

      Excluir
  4. Muito interessante. Parece que a história, está cheia de descobertas feitas por acaso.
    Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Elvira, tem razão! As descobertas por acaso mostram o quanto precisamos estar sempre atentos para o novo, tirar um pouco os olhos do padrão! Também considero genial quando alguém descobre um meio mais fácil para fazer algo! Estratégia também depende de criatividade.
      Abraços!

      Excluir

  5. Olá Bia,

    Conhecia esta história da origem da PINGA/ÁGUA ARDENTE.
    Surpreendo-me sempre com a criatividade humana. Há alguns que possuem um talento especial na arte de ser original e criativo. Contudo, observo que em conjunturas de crise/desafios o ser humano responde positivamente, mas por força da pressão. Há quem diga que "pressão gera inovação". É verdade, mas a criatividade pode ser exercitada com riqueza independente de uma situação de estresse. Admiro as pessoas que esbanjam criatividade de maneira espontânea e divertida.
    Ótima postagem!
    Feliz semana!

    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Vera!
      Muito interessante sua colocação. Sob estresse e pressionados para resolver algo a criatividade é atiçada à força e então, todos acabam se descobrindo criativos. Mas lembrei de um vídeo que assisti dia desses... esse é um tipo de criatividade que pode trazer o resultado desejado e até surpreendente, mas não é um caminho prazeroso, ou seja, trará a sensação boa de se alcançar o objetivo, mas não o sabor da satisfação que se consegue num percursos permeado pela liberdade e leveza.
      Creio que quando oferecemos liberdade criativa a alguém, se a pessoa estiver receptiva à isso e se a ocasião permitir, oferecemos concomitantemente satisfação pessoal.
      Abraços!

      Excluir
  6. Bia, aqui dizemos que "a necessidade aguça o engenho! "
    Achei muito interessante a génese da "pinga" e da "aguardente ".
    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nina, a necessidade realmente é um ativador eficiente de criatividade, embora sintuações de intenso estresse roubem um pouco a beleza de seu exercício. É sempre interessante conhecer as expressões portuguesas!
      Abraços!

      Excluir
  7. Muito bom texto, trazendo cultura e enfatizando o poder da criatividade. Parabéns.
    Vim aqui através do G+, indicação de amiga blogosfera em comum

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! A cultura oportuniza nos conhecermos um pouco melhor também,afinal somos produto da mesma origem! Espero que volte mais vezes! Abraços!

      Excluir
  8. Gostei de saber da pinga e da água ardente... Não sabia mesmo, que interessante. E realmente a criatividade é tudo na vida. Pena que nem sempre ela está ativa... rs Beijão e bom Carnaval, Bia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Sérgio, tem razão, mas tudo o que está desativado pode ser ativado, rsrsrs! E deve, se for para melhorar nossa vida. Abraços!

      Excluir
  9. Olá Bia,
    quando eu contava esta história da Pinga/ Água Ardente pros alunos , eles achavam a maior graça e daí surgia o mote pra trabalharmos expressões em corruptelas.Dava panos pras mangas(rsrssrs). Todos os dias queriam achar mais e mais expressões que sugerissem tais figuras.
    A criatividade eh nativa mas, cresce muito com bons incentivos.
    Adorei nosso "diálogo".

    Bom feriadão.
    Calu

    ResponderExcluir
  10. Oi, Calu, como vai? Professores são mestres em criatividade, rsrsrs, tudo para despertar o interesse dos alunos, e quando conseguimos, está aí o gancho a ser aproveitado!
    Estímular a criatividade e fomentar a auto estima também fazem parte do nome professor.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  11. Boa noite Bia,
    Que artigo tão interessante.
    Gostei muito de saber a origem da "pinga" e "aguardente", termos que se utilizavam na aldeia onde nasci.
    Lembro-me muito bem de em criança ver a minha avó materna fazer a aguardente que ia pingando no recipiente.
    Sobre criatividade em todas as idades ela é necessária, sendo que na idade avançada já se torna mais difícil, mas há que inovar;))!
    Beijinhos,
    Ailime

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ailime, que legal que a história a fez lembrar de sua avó... eu lembro que minha avó usava pinga na massa de pastel, dizia que um cálice deixava a massa sequinha, chupava menos óleo na fritura. Já aqui em minha região há uma cidade chamada Morretes de onde é muito famosa a aguardente de banana artesanal que fabricam, é bem saborosa (um cálice, apenas, kkkk)
      Sim, Inovar na idade avançada ajuda a manter o cérebro ativo, é bem saudável! Abraços!

      Excluir
  12. Boa noite, querida Bia!
    Sabe, ao pé do ouvido venho lhe confessar que tento viver o dia a dia e a hora em que as coisas acontecem... não quero mais me antecipar a nada...
    Dá sempre tudo tão certo e os fantasmas cerebrais nunca vencem...
    Criatividade é um dom do espírito... a vida espiritual nos beneficia muito quando em dia...
    Um precioso post com uma mensagem que tenho meditado ultimantente.
    Bjm muito fraterno

    ResponderExcluir

Gosto de conhecer pontos de vista. Não deixe de expressar o seu! Farei o possível para responder.
Obs: a moderação está ativada.