domingo, 2 de abril de 2017

A faísca da fogueira

Como é bom quando temos na vida motivos para recomeçar após momentos difíceis... eu tenho um grande amor, uma filha e um cachorro e por eles, me dou outra chance.






Nessa retomada, tenho encontrado muitos caminhos - alguns compartilhados no blog - que tem me ajudado bastante a manter a serenidade, encontrar respostas e direções. Em vários estudos apareceu o termo "centelha de vida", e resolvi pesquisar um pouco mais a fundo o que significa, afinal.



Encontrei em uma palestra explicações muito interessantes: centelha de vida é o átomo único de cada ser humano, não haverá jamais outro igual, A centelha advém do Criador, Deus, Universo, Todo, enfim, como preferir. Se Ele é a fogueira, a centelha (ou cada um de nós) é a faísca. Essa é uma denominação que mostra a importância de cada ser humano nesse Todo do qual fazemos parte, embora cada um não se dê conta disso, pois cada faísca reprimida diminui a beleza e a força da fogueira primordial.




Outra explicação interessante é sobre o ego: a centelha é a essência única de cada um que está envolta pela alma - o ego, uma ferramenta humana criada para ajudar a centelha a brilhar. Porém, na sociedade em que vivemos, o ego é utilizado para ocultar a centelha com valores, paradigmas e sentimentos equivocados e não para ajudar, então é como se a centelha estivesse recoberta por várias camadas, como bonequinhas Matrioskas, acabando por perder seu brilho e ocultar toda a beleza interior que todo ser humano possui.

Para retirar as camadas excessivas e reacender nossa vida em toda sua plenitude, o caminho é o amor, o perdão (primeiramente, auto perdão), a gratidão e a alegria. Fazer o bem de maneira genuína - não por obrigação, dívida, vaidade ou interesse, sim por generosidade - é outra ferramenta poderosíssima para que a essência venha novamente à tona.

Talvez em alguns momentos você tenha, como eu, a sensação de que o amor e o bem não são compreendidos, aceitos ou recebidos pelo outro, porém tomei conhecimento de que o sentimento apesar de não ser palpável, é uma onda que se sobrepõe à outra onda, então mesmo que não se tenha o retorno visível disso, o amor e o bem estão chegando, e não só a sua centelha como a do outro, estão sendo reavivadas a todo momento, é só não desistir de você, do amor e de fazer o bem, porque em algum lugar há uma centelha emanando amor pra você.



Obs: tive que resolver questões pessoais, por esse motivo não postei semana passada e não pude visitar os amigos, em breve as coisas devem estar voltando aos eixos.

16 comentários:

  1. UAU! Que maravilha de lição de vida aqui! Todos temos que reavivar essa chama e seguir fazendo o bem, perdoando( não é tão fácil) e não desistindo de levar o nosso melhor pra nós mesmas e aos outros... Há fases difíceis, fazemos o bem e parece que pessoas não o sabem receber, mas seguir é preciso... bjs, tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Chica! Tem razão, não é fácil manter a centelha radiante, mas sabe, também não é difícil. Vivemos cercados de tanta negatividade, falsidade, egoísmo, que se permitimos acabamos nos contaminando sobretudo em fases difíceis. Talvez por esse motivo o mundo esteja realmente precisando de pessoas escolhendo remar contra a maré espalhando amor, alegria, compreensão e gratidão, mesmo nos momentos difíceis. Abraços!

      Excluir
  2. Boa tarde, querida Bia!
    Força, foco e fé, amiga!
    Vc é uma vitoriosa... nasceu pra dar certo...
    Assim penso eu em relação a mim também...
    Desistir da gente, jamais!
    Bjm muito fraterno

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Rosélia, tem razão, força, foco e fé! Ótimas colocações! Com essa trilogia como filosofia de vida mesmo na adversidade não vamos nos deixar abater, são alguns dos pilares que sustentam minhas escolhas e tenho certeza, as suas também! :D
      Abraços!

      Excluir
  3. Olá, Bia.

    Tudo passa e precisamos aprender a passar por tudo e fazer brilhar nossa centelha para podermos somar e multiplicar luz.

    Um abraço e uma boa semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Apon!
      "Fazer brilhar nossa centelha para podermos somar e multiplicar luz", sim, é isso. Problemas todos temos, mas encará-los por outras perspectivas, evitando ao mesmo tempo embarcar em companhias e contextos negativos, faz com que a vida não perca a leveza e o brilho, e como o mundo tem estado no escuro, cada um cuidando bem de sua centelha está cuidando também, do coletivo.
      Abraços!

      Excluir
  4. Muito interessante Bia. Tem-se notado em algumas postagens que nem tudo está bem consigo. Que Deus a ajude na recuperação da sua centelha. Quando dependemos apenas de nós, nem sempre conseguimos.
    Tudo de bom para si amiga.
    Um abraço e uma boa semana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Elvira! Interessante, creio que dei a impressão de não estar bem, mas estou, rsrsr, acabei dando uma alterada no texto.
      O conhecimento tem me mostrado a importância de estar bem independente das circunstâncias, e mais além, do quanto isso é primeiramente uma responsabilidade individual. Mas é claro, essa mudança de atitude depende de grande disciplina e atenção o tempo todo. Cansativo, mas compensador.
      Na verdade eu achava que tinha muito (auto) conhecimento, hoje vejo que só conheço a ponta do iceberg, rsrsr,
      Obrigada pelo carinho, abraços!

      Excluir
  5. Pois temos que fazer brilhar a nossa centelha. A vida é mesmo assim: cheia de adversidades, mas temos que continuar.
    Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, Elisabete, e curioso... a vida acontece em ondas que oscilam (altos e baixos), temos a tendência a acompanhar esse movimento e nos abater, quando o ideal é manter os sentimentos e pensamentos sempre em alta, preservando o amor pela vida e pelas pessoas independente do que esteja acontecendo.
      Abraços!

      Excluir
  6. Que bela lição esse desabafo em forma de texto, Bia. E fico feliz em ler. Serve pra todo mundo o tempo todo. Fique bem e entendo vc perfeitamente. Beijos e boa semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Sérgio, eu trouxe com a intenção da informação, ouvimos tanto falar em centelha de vida, mas poucos sabem o que é e qual é o caminho para torná-la flamejante e mais forte que os descompassos. Que bom que gostou! :)
      Abraços!

      Excluir
  7. E como é fundamental mantermos acesa a centelha, a faísca que nos perfaz primordiais/únicos e indivisíveis; aquela memória ancestral do Todo que é Luz, que é Bem, que é Paz a nos nutrir e motivar recomeços.

    Brilhante e necessário alerta, Bia! Grata!
    Bjo,
    Calu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oi, Calu! Muito apropriado o uso do termo "memória ancestral", talvez essa seja uma ótima definição para a essência. Cada um carrega em si sua identidade única e intransferível, ao mesmo tempo em que faz parte do Todo, e essa é a grande mágica da vida que inúmeras vezes é desperdiçada.
      Abraços!

      Excluir
  8. Tudo é energia nessa vida e o amor é a mais potente delas.
    Amemos!! <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perfeito, Nah, exatamente isso! ;) abraços e muito amor!

      Excluir

Gosto de conhecer pontos de vista. Não deixe de expressar o seu! Farei o possível para responder.
Obs: a moderação está ativada.